sábado, 19 de outubro de 2013

RONALDINHO GAÚCHO ATENDE PEDIDO DE LEANDRO DONIZETE, E VESTE O MANTO AFEANO

Via SimNews



Quem diria que um dia veríamos o craque Ronaldinho Gaúcho, atleta que foi eleito o melhor jogador de futebol do mundo em 2004 e 2005, vestindo a camisa da nossa gloriosa Ferroviária? Não, ele não é o novo reforço do time para a Série A2 de 2014. Na verdade, o camisa 10 aceitou um pedido de seu colega de Atlético-MG, o volante Leandro Donizete, jogador nascido em Santa Lúcia que jogou pela Ferroviária entre os anos de 2003 e 2007.

Tudo começou durante a parada da Copa das Confederações, em junho, quando Leandro Donizete veio passar alguns dias na casa de sua família em Santa Lúcia e aproveitou para visitar Araraquara. Na ocasião, ele participou de uma entrevista ao vivo no programa ‘Balanço Geral dos Campeões da Bola’ da Rádio Cultura (AM790). Clique aqui para ler a matéria.

No bate-papo, Leandro falou sobre o início de sua carreira e as expectativas às vésperas das finais da Taça Libertadores da América – que posteriormente seria vencida pelo seu time. Falou ainda sobre sua convivência com o astro Ronaldinho.

Perto do final da entrevista, Leandro recebeu um pedido do torcedor Cristiano Oliveira, por meio do Facebook do repórter Marcos Chiocchini. Oliveira desafiou o atleta a tirar uma foto de Ronaldinho Gaúcho com a camisa da Ferroviária. Leandro aceitou o desafio e se comprometeu a transformar a foto em realidade.

Nesta sexta-feira, Marcos Chiocchini recebeu, pela internet, a foto enviada por Leandro Donizete, que cumpriu o desafio. Em contato com o repórter, Leandro afirmou que Ronaldinho aceitou prontamente o convite para vestir a camisa da Ferroviária. Segundo o volante, o craque gaúcho gostou do ‘manto grená’ e pediu para ficar com a vestimenta. "Obrigado Leandrinho, e principalmente ao Ronaldinho, principalmente pelo respeito com essa camisa", postou Chiocchini, junto com a foto, que em poucos minutos virou sucesso entre os torcedores.

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

SELEÇÃO BRASILEIRA CONVOCA 8 ATLETAS DAS GUERREIRAS GRENÁS

Via SimNews



O técnico Márcio de Oliveira, da Seleção Brasileira de Futebol Feminino, anunciou na última quarta-feira, a convocação para um amistoso que será realizado no dia 10 de novembro, contra os Estados Unidos, em Orlando (EUA). A lista conta com oito jogadoras da Ferroviária/Fundesport, time que há duas semanas sagrou-se tetracampeão paulista. As jogadoras chamadas são a goleira Luciana, a zagueira Tayla, as laterais Rilany e Andressa Alves, as volantes Thaisa e Beatriz, a meia Raquel e a atacante Adriane Nenê, que se encontram em Mogi das Cruzes, onde o time disputa os Jogos Abertos do Interior. Outro nome que figura na lista é a ex-afeana Andréia Rosa, que hoje atua pelo Avaldsnes da Noruega.

As atletas tiveram a oportunidade de mostrar suas capacidades nos dois jogos da final do Campeonato Paulista, que foram disputados contra o São José, time que é comandado justamente pelo técnico da Seleção. O treinador busca novas opções para o futuro, por isso ele acabou deixando de fora diversos nomes de peso, como a lateral Maurine, a meio-campo Fracielle e a atacante Erika. Entretanto, o quarteto formado por Marta, Thaisinha, Rosana e Cristiane deve agregar muita experiência às novatas. 

Essas quatro jogadoras são as únicas remanescentes da equipe que foi a Londres, nos Jogos Olímpicos do ano passado.

A partida amistosa será disputada no Florida Citrus Bowl, às 17h30 (de Brasília), no dia 10 de novembro. O Brasil fez cinco jogos neste ano de 2013. Foram dois empates contra a França, um empate contra a Suécia, derrota para a Nova Zelândia e só uma vitória contra o México.

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

EX ZAGUEIRO MARCO ANTÔNIO É HOMENAGEADO POR DIRIGENTES DO SPORT RECIFE

Via Jornal O Imparcial e Campeões da Bola



A equipe pernambucana do Sport Recife aproveitou sua passagem pela cidade de Araraquara na última semana para homenagear um dos maiores ídolos de sua história, o ex-zagueiro araraquarense Marco Antonio, que completou 50 anos no último mês de agosto. O carinho da torcida do Leão do Norte se deve ao fato do ex-zagueiro ter marcado o gol do título brasileiro de 1987, conquistado pelo clube rubro-negro em final sobre o Guarani.

Na última quinta-feira, o ex-jogador visitou o treinamento da equipe na Arena Fonte Luminosa, onde foi muito bem recebido por atletas e comissão técnica. Na tarde de ontem, Marco Antonio foi chamado para uma homenagem no próprio hotel. Na ocasião, o diretor de futebol José Alves, o supervisor Edmilson dos Santos e o técnico Geninho recepcionaram o ex-jogador, que foi presenteado com uma camisa oficial do clube. Todas as pessoas da delegação que estavam presentes no encontro aproveitou para conversar e tirar fotos com o araraquarense, que retribuiu o carinho e presenteou os dirigentes com a camisa que utilizou na conquista do título pernambucano de 1988. 


Em sua passagem pelo Sport, Marco Antonio tinha o apelido de ‘Gigante da Ilha’, em referência ao estádio do clube, a Ilha do Retiro, localizado em Recife. Ele se mostrou emocionado com a homenagem. “Só tenho a agradecer por esse reconhecimento. O Sport é um clube que me acolheu muito bem e me deu todas as condições de realizar o meu trabalho da melhor maneira possível. A torcida tem um carinho enorme por mim, assim como eu tenho por ela. Digo com o maior orgulho que foi no Sport em que eu passei os dois melhores anos da minha vida, em um período em que ganhamos quase tudo o que disputamos. Hoje, 24 anos depois do título brasileiro, tenho o prazer de reencontrar pessoas que lembram de mim e isso me deixa extremamente feliz. Eles postaram uma foto minha no Facebook do clube e as manifestações dos torcedores foi algo sensacional. Não tem coisa melhor”, destacou o ex-jogador.


O título nacional de 1987 ainda gera muita polêmica, mas para os torcedores do rubronegro nordestino, não tem nada para ser discutido, por isso o feito de Marco Antonio é visto como um dos momentos mais gloriosos da equipe. “Foi um dia em que eu estava abençoado, por isso agradeço primeiramente a Deus. Foi o gol mais importante da minha vida, mas foi fruto do merecimento de todo o grupo, que naqueles dois anos era um time muito forte e praticamente imbatível em casa. Hoje eu acompanho o Sport pela internet. É um time que torço, é um time grande do futebol brasileiro, e eu torço demais para vê-lo de volta à elite”, completou.


Para o diretor rubronegro José Alves, a homenagem é mais do que justa. “Agradecemos muito Araraquara pela recepção e por essa oportunidade de reencontrar o Marco Antonio, que é um ídolo pelo que foi como jogador e também pelo caráter”, salientou. Ao ouvirem de Marco Antonio que seu filho tem o sonho de conhecer a Ilha do Retiro, os representantes do clube se colocaram à disposição e já deixaram o convite para o ex-atleta entrar em campo antes de um jogo do time.

Trajetória


Marco Antonio nasceu em 20 de agosto de 1963 em Araraquara e foi revelado pela Ferroviária, onde jogou entre os anos de 1982 e 1986. Se transferiu para o Corinthians, onde atuou por duas temporadas antes de acertar com o Sport. No rubro-negro nordestino, fez história ao marcar o gol contra o Guarani que resultou na vitória por 1 a 0 e consequentemente no título brasileiro de 1987 (o jogo de ida, em Campinas, foi 1 a 1). Em 1989, acertou com o Palmeiras, time que defendeu até o ano seguinte, quando foi negociado com a Inter de Limeira. Passou ainda pelo Grêmio Sãocarlense, ABC-RN e Shimizu S-Pulse, do Japão. Encerrou sua carreira em 1997 na própria Ferroviária e passou a trabalhar como professor de escolinhas de futebol na cidade.

SELEÇÃO BRASILEIRA SUB 15, CONVOCA 3 ATLETAS DAS GUERREIRAS GRENÁS

Via Jornal O Imparcial



Coroando o bom momento vivido pela Ferroviária/Fundesport, três atletas das categorias de base afeanas foram convocadas pela Seleção Brasileira Sub-15: a zagueira Giovanna (12 anos), a atacante Juliana (13 anos) e a volante Yasmin (13 anos).

Giovana está na Ferroviária há dois anos, e a matonense Juliana ingressou para a base no início de 2012. Já Yasmin é “veterana”, e chegou ao time quando tinha apenas 9 anos. “Sempre quis ser uma jogadora profissional, e venho treinando muito para isso. Estava na expectativa desde a visita da comissão da Seleção [em maio] e agora estou muito feliz com a convocação, é a realização de um sonho”, conta a volante.

O técnico da categoria sub-15 da Ferroviária/Fundesport, Silmar Assis explica que o trabalho sério realizado pela equipe com jovens talentos tem chamado a atenção da Seleção Brasileira. “Araraquara está se destacando cada vez mais no futebol feminino. Além do adulto possuímos as equipes sub-13, sub-15 e sub-18, e o objetivo é realmente formar atletas profissionais. Apesar da pouca idade, nossas jogadoras possuem excelente qualidade técnica e muita vontade de se destacar e viver do esporte”.

As jovens Guerreiras Grenás escaladas se apresentaram na última segunda-feira à técnica Emily Lima para uma etapa de treinamento no CT João Havelange, em Pinheiral, no Rio de Janeiro. Os trabalhos se estenderão até 27 de outubro.

CORINTHIANS CONFIRMA ARARAQUARA PARA O CLÁSSICO DIANTE DO SANTOS NO DIA 27

Via GloboEsporte.com

O Corinthians decidiu levar o clássico contra o Santos, marcado para o dia 27 de outubro, para a cidade de Araraquara, cuja distância da capital é de 288 km. O duelo cairá em um domingo e ocorrerá às 16h, no estádio Fonte Luminosa.
O Timão terá de jogar longe do Pacaembu porque foi punido com a perda de quatro mandos de campo pelo STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva), por conta da briga entre torcedores corintianos e vascaínos no duelo com o time carioca, no dia 11 de agosto, em Brasília. O clube já jogou duas partidas em Mogi Mirim (contra Bahia e Atlético-PR) e vai enfrentar o Criciúma neste sábado, em Itu. O clássico será o último jogo da punição.

COM APAGÃO E TUDO, SANTOS E INTERNACIONAL-RS NÃO SAEM DO 0 A 0 NA VILA BELMIRO

Via SimNews



Santos e Internacional não saíram de um 0 a 0 na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, em jogo válido pela 29ª rodada do Campeonato Brasileiro. Com o resultado, as equipes continuam longe do G4: o Peixe está a nove pontos do Botafogo, quarto colocado, enquanto o Colorado está a oito. Até o fim da rodada, a diferença pode aumentar, já que o time carioca encara o Vitória, nesta quinta-feira, no Barradão.

Na próxima rodada, o Santos visita o Náutico, no sábado, às 18h30, na Arena Pernambuco. Já o Inter faz clássico contra o Grêmio, no dia seguinte, às 16h, no Estádio Centenário.

O JOGO
Quem esperava por um duelo de argentinos no meio de campo, entre Montillo e D'Alessandro, ficou frustrado. Nem tanto pela atuação do meia santista, mas sim pelo pouco futebol apresentado pelo jogador do Inter.

Na equipe gaúcha, quem tomou conta do meio foi Alex, que vinha sendo reserva. Ele deixou Leandro Damião livre aos 27 minutos, na intermediária, sem mais ninguém à sua frente. O atacante, porém, se atrapalhou com a bola, foi desarmado pelo rápido Bruno Peres e desperdiçou a melhor oportunidade do primeiro tempo.

Já o Peixe tinha um bom Montillo na etapa inicial, jogando como um falso camisa 9, mais enfiado pelo meio. O argentino movimentou-se e levou perigo em chute de fora da área.

NEM OS REFLETORES AGUENTARAM...

Na volta do intervalo, as equipes voltaram sem alterações. Logo aos 12 minutos, Alex saiu para a entrada de Scocco, e o Inter continuou sem levar muito perigo.

O jogo era tão ruim tecnicamente que nem a luz aguentou. Aos 20, os refletores da Vila Belmiro apagaram. A partida recomeçou apenas 16 minutos depois, mas o futebol dos times continuou sem aparecer no gramado.
No fim do segundo tempo, aos 37, Everton Costa perdeu grande chance. Montillo foi aos trancos e barrancos pelo lado direito, chegou à linha de fundo e cruzou. O atacante tentou dominar e foi desarmado. Um pouco depois, Cícero mandou de cabeça para fora. Era dia de 0 a 0 na Vila Belmiro.

FICHA TÉCNICA
SANTOS 0 X 0 INTERNACIONAL

Local: Vila Belmiro, em Santos (SP)
Data-Hora: 16/10/2013 – 19h30 (de Brasília)
Árbitro: André Luiz de Freitas Castro (GO)
Auxiliares: Bruno Raphael Pires (GO) e Ricardo Bezerra Chianca (PE)
Renda/Público: R$ 99.863,00/3.486 presentes.
Cartões amarelos: Bruno Peres e Emerson (SAN); Juan e João Afonso (INT)
Cartões vermelhos: Nenhum
Gols: Nenhum

SANTOS: Aranha, Bruno Peres, Edu Dracena, Gustavo Henrique e Emerson; Alison, Arouca, Cícero e Montillo; Everton Costa e Thiago Ribeiro (Neilton, 26'/2ºT). Técnico: Claudinei Oliveira.

INTERNACIONAL: Muriel, Gabriel, Jackson, Juan e Kleber; João Afonso, Willians, Alex (Scocco, 12'/2ºT) e D'Alessandro; Jorge Henrique e Leandro Damião (Nathan, 42'/2ºT). Técnico:Clemer.

COM GOLAÇO DE GANSO, SÃO PAULO ATROPELA O NÁUTICO NO MORUMBI

Via SimNews



O São Paulo, enfim, pode respirar mais aliviado no Campeonato Brasileiro. Aos poucos, as coisas vão começando a dar certo e, com a vitória por 3 a 0 sobre o lanterna Náutico, nesta quarta-feira, no Morumbi, o Tricolor chegou aos 37 pontos e abriu cinco de distância para o Criciúma, primeiro time na zona de rebaixamento. Já o Timbu, com 17, segue firme rumo à queda.

E se no último domingo o que ficou marcado foi o pênalti perdido por Rogério Ceni, desta vez a lembrança será muito melhor: o golaço de Ganso. Ele driblou três marcadores com muita habilidade - e facilidade - e tocou no canto, rasteiro, para fazer o segundo gol do Tricolor. O primeiro havia sido marcado por Ademílson, em lance que contou com toque de letra do camisa 8. Depois, Welliton ainda fechou o placar.

A partida não foi um primor de técnica, sobretudo pela falta de qualidade do time do Náutico, que mostra cada vez mais que merece estar na última posição. A única chance foi com Maikon Leite, aos três minutos, defendida por Ceni. De resto, desorganização, muitos erros e total apatia de uma equipe já praticamente rebaixada, mas que não foi desleal.

O Tricolor, se não teve uma atuação brilhante, fez sua parte. Dominou toda a partida, atacou bastante pelo lado esquerdo, pressionou e venceu com facilidade. Abriu o placar com Ademilson, após confusão na área, aos 30 minutos. Fez o básico para chegar ao intervalo na frente, sem muito esforço.

O golaço de Ganso foi o grande momento do segundo tempo, que teve o São Paulo ainda mais dominante. Os três marcadores ficaram para trás e o toque foi de muita categoria. Lance merecido para quem vinha sendo um dos principais jogadores durante a má fase.

Houve erros, mas a etapa final foi tranquila. Também graças à inoperância do Náutico. Mas o Tricolor soube como controlar as ações em campo. Tocou a bola, perdeu uma ou outra chance, não foi atacado e construiu um placar elástico para dar ainda mais moral à equipe, que chega a quatro partidas seguidas sem derrota. O marcador foi fechado aos 28, em belo chute de Welliton, que acabara de entrar. Noite de festa e alívio no Morumbi.

A caminhada do São Paulo para escapar de vez do rebaixamento seguirá no próximo domingo, às 16h, contra o Bahia, na Arena Itaipava Fonte Nova. Uma vitória poderá fazer a equipe começar a pensar em voos mais altos no Brasileirão. Já o Náutico conta os dias para o rebaixamento chegar e o ano trágico terminar. O próximo duelo será no sábado, às 18h30, contra o Santos, na Arena Pernambuco.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 3 X 0 NÁUTICO

Local: Morumbi, em São Paulo (SP)
Data/Horário: 16/10/2013 - 21h
Árbitro: Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Auxiliares: Neuza Inês Back (SC) e João Patrício de Araújo (GO)
Público/renda: R$ 159.515,00/14.942 pagantes
Cartões amarelos: Denílson; Rodrigo Caio (SAO); Angelo Peña, Tiago Real (NAU)
Cartão vermelho: Nenhum
GOLS: Ademilson, 30'/1ºT (1-0); Ganso, 20'/2ºT (2-0); Welliton, 28'/2ºT (3-0)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Rodrigo Caio, Rafael Toloi, Edson Silva e Reinaldo; Maicon, Wellington, Denilson (Fabrício - 31'/2ºT) e Ganso (Jadson - 42'/2ºT); Ademilson e Aloísio (Welliton - 27'/2ºT). Técnico: Muricy Ramalho.

NÁUTICO: Ricardo Berna; Dadá (Auremir - 24'/2ºT), Alison, William Alves e Bruno Collaço; Elicarlos, Martinez, Derley (Diego - 39'2ºT), Tiago Real e Angelo Peña (Jones Carioca - 13'/2ºT); Maikon Leite. Técnico: Marcelo Martelotte.

GRÊMIO-RS SUPERA CORINTHIANS EM PORTO ALEGRE PELO BRASILEIRÃO

Via SimNews




Deu Tricolor nesta quarta-feira, na prévia do duelo entre Grêmio e Corinthians, adversários das quartas de final da Copa do Brasil, em jogo pelo segundo turno do Campeonato Brasileiro. Com gol de Barcos, que encerrou jejum de nove jogos, a equipe gaúcha voltou a vencer após dois jogos e garantiu o 1 a 0, na Arena Grêmio.

Com o resultado, o time de Renato Gaúcho voltou para a vice-liderança - ao menos até a noite de quinta-feira, quando o Botafogo visita o Vitória e pode retomar a posição. Já o Corinthians, que vinha de três empates por 0 a 0 seguidos, despencou para a 13ª posição e viu o rival São Paulo lhe ultrapassar na tabela após vencer o Náutico por 3 a 0.

Os times voltam a se enfrentar na próxima quarta-feira, dia 23, às 21h50, também na Arena Grêmio, mas pela Copa do Brasil. No jogo de ida, os times ficaram no 0 a 0 em São Paulo. Umplacar igual leva a decisão para os pênaltis. Já empate com gols dá a vaga ao Timão.

O JOGO

A fim de levar maior gás para o campo, Tite levou um time modificado para o Sul. Paulo André, Fábio Santos, Alessandro e Danilo perderam lugar entre os titulares. Cleber, Igor, Diego Macedo e Douglas foram as apostas do treinador, que ainda não pôde contar com Guerrero (machucado) e Pato (que esteve com a Seleção Brasileira para o amistoso contra Zâmbia).

Titular pela primeira vez, o lateral-direito ex-Bragantino, que carrega o sobrenome do tio famoso (ex-São Paulo e Santos), teve duas chances no primeiro tempo. Primeiro, com um chute de bastante perigo que Dida espalmou. 

Depois, ao receber passe milimétrico de Douglas por trás da defesa e errar o alvo.
No esquema 3-5-2, atuando retraído e à espera de um contra-golpe em sua casa, o Grêmio pouco assustou. Lucas Coelho, que substituiu o suspenso Kleber, fez a única grande jogada da equipe, ao fazer fila nos zagueiros e exigir defesa de Cássio.

Ciente de que o seu time havia jogado menos futebol que o adversário nos 45 minutos iniciais, Renato Gaúcho mudou o esquema tático no vestiário, passando a jogar no 4-4-2. Com Maxi Rodríguez no lugar de Bressan, o time deu resposta imediata. Aos quatro minutos, o meia uruguaio cruzou na medida para Barcos que, livre dentro da área, dominou no peito e bateu firme de perna esquerda para o fundo do gol.

Com apenas uma vitória nos últimos 13 jogos - com mais seis derrotas e seis empates -, o Corinthians ficou abatido, mas tentou reagir. Emerson Sheik, em jogada indivual pelo lado direito, chutou entre Dida e a trave, mas o goleiro ex-Timão conseguiu afastar.. Barcos, de cara para Cássio, também teve a chance de fazer mais um, mas perdeu. No fim, o camisa 11 do time paulista cabeceou e quase empatou, mas o goleiro tricolor espalmou para fora.

Agora na briga contra o rebaixamento, o Corinthians volta a campo no sábado, às 21h, para enfrentar o Criciúma em Itu, no Estádio Novelli Júnior. Já o Grêmio visita o Internacional, domingo, às 16h, no Centenário.

FICHA TÉCNICA

GRÊMIO 1 X 0 CORINTHIANS

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

Data/Hora: 16 de outubro de 2013/21h50

Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa-PE)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (Fifa-SC) e Clóvis Amaral da Silva (PE)
Renda e público: R$ 454.454,00/17.318 (15.352 pagantes)

Cartões amarelos: Adriano (GRE) Cleber (COR)


Gols: Barcos - 4'/2°T (1-0)

GRÊMIO: Dida; Werley, Rhodolfo e Bressan (Maxi Rodríguez - intervalo); Pará, Adriano, Souza, Ramiro e Alex Telles; Lucas Coelho (Paulinho - 22'/2°T) e Barcos (Saimon - 37'/2°T). Técnico:Renato Gaúcho.

CORINTHIANS: Cássio; Edenílson, Cleber, Gil e Igor (Jocinei - 31'/2°T); Ralf e Guilherme (Ibson - 28'/2°T); Diego Macedo (Rodriguinho - 19'/2°T), Douglas e Romarinho; Emerson Sheik. Técnico: Tite.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

JORNALISTA ARARAQUARENSE LANÇA LIVRO EM SÃO PAULO

Via Jornal O Imparcial - Carlos André de Souza

‘A Bola e o Verbo’ é a primeira obra do repórter Rodrigo Viana (foto)




Nunca o nome de uma obra resumiu tão bem a trajetória de seu autor como ‘A Bola e o Verbo’, livro escrito pelo jornalista araraquarense Rodrigo Viana, que teve seu primeiro contato com o universo esportivo ao chutar uma bola de futebol nos campinhos de pelada da cidade, onde adquiriu uma qualidade que o fez chegar até as categorias de base da Ferroviária, time de seu coração. Decidiu partir para o ‘verbo’, sem deixar ‘a bola’ de lado. Se formou jornalista e iniciou seu percurso profissional em 1995 no caderno de Esportes do jornal O Imparcial, onde seguia as orientações do ‘professor’ Sidney Schiavon, editor esportivo na época. “O seu Sidney produzia duas crônicas diárias para a página 2 do jornal. Uma era dele e outra era do Severo Bravo, que era um pseudônimo que ele utilizava. Era um gênio. E o Ignácio de Loyola Brandão também começou n´O Imparcial e ele sempre se referencia ao jornal”, relembra.

Dezoito anos após sua passagem pelo jornal araraquarense, Rodrigo Viana mostra que atingiu a ‘maioridade’ e já integra o time titular do jornalismo esportivo brasileiro. Passou por vários veículos de comunicação de ponta, cobriu fatos históricos – o último deles o título mundial do Corinthians no Japão – e hoje lançará seu primeiro livro em um evento que será realizado a partir das 19 horas, no Bar do Torcedor, que fica localizado no Museu do Futebol do Estádio do Pacaembu, em São Paulo.

‘A Bola e o Verbo’ é o resultado de sua dissertação de mestrado. Ele revela que quando começou a escrever a tese, não pensava em publicar um livro, mas a ideia começou a ganhar forma durante a conclusão do trabalho. Certa vez, encontrou o jornalista Alberto Dines, criador do ‘Observatório da Imprensa’, que o sugeriu a publicação de sua obra. “Ao me recomendar que fizesse um livro, eu disse a ele que eu não sou o Alberto Dines, sou o Rodrigo Viana. Ele recomendou que eu procurasse sua editora, a Summus, que é uma editora importantíssima”, conta, sorrindo.

A publicação se tornou uma realidade e, melhor ainda, traz em suas páginas palavras escritas por nomes que valorizam ainda mais o seu trabalho, como Juca Kfouri (prefácio), Ignácio de Loyola Brandão (apresentação) e o próprio Alberto Dines (contracapa). “Convidei e todos eles toparam de primeira. Todos leram o livro e escreveram coisas muito bacanas e muito bonitas. É uma responsa! Já aconteceu, não tem volta. É um filho que tenho que assumir“, brinca Viana.

A obra traz uma análise de 13 crônicas, escritas por craques do gênero como Mário Filho, Lima Barreto, José Roberto Torero e João Saldanha. A proposta é esmiuçar a narrativa, além de mostrar o modo como a história da crônica de futebol começou a ganhar espaço na imprensa brasileira e os seus desdobramentos para a nossa literatura e para o jornalismo. “A crônica mistura prosa e poesia, ficção e realidade. A crônica sempre parte de uma coisa que aconteceu mesmo, por isso é crônica. Ela tem a liberdade de misturar outras narrativas mais ‘ficcionalisadas’. Por isso ela fica gostosa, fica próxima. Nesses tempos de correria, de internet, de factual, ela é um refresco e causa no leitor o que causa a revista, que é uma coisa que você coleciona. As crônicas seguiam esse percurso e depois de serem publicadas em jornais, elas viravam livros”, explica.

Rodrigo Viana salienta que a crônica é um gênero que veio da França, mas a crônica de futebol ganhou força no Brasil. “Os cronistas mais habilidosos estão aqui. No livro eu conto como começam a escrever mais crônicas a partir do momento que o Brasil se tornou tricampeão do mundo”, revela.

O araraquarense se mostra ansioso com o lançamento de seu primeiro livro, mas garante que o resultado ficou “bem honesto”. “É um livro que qualquer pessoa pode ler. Adaptei o mestrado para uma linguagem bem mais informal. É indicado para faculdades de comunicação e para futuras cadeiras de jornalismo esportivo, visto que estamos perto de receber dois grandes eventos esportivos. Acho que é preciso resgatar esse espaço da crônica, seja em blogs, jornais, revistas, smartphones, enfim, todos os meios que avançam e que não sabemos onde vão parar. A crônica é um espaço necessário dentro do futebol”, garante.

Rodrigo considera Nelson Rodrigues o maior cronista de todos os tempos, mas não analisou nenhuma crônica do jornalista em sua obra. “Eu não me atrevi, porque ele é muito denso, muito forte. Eu não analiso nenhuma crônica de Nelson Rodrigues porque precisaria fazer um livro somente sobre ele”, justifica.

Mas o irmão de Rodrigues, Mário Filho, tem participação de destaque no livro, principalmente por ter começado a quebrar o preconceito que sempre existiu com o jornalismo esportivo. “Não é por acaso que Mário Filho é o nome do Maracanã. Na década de 40, ele criou o Jornal dos Esportes e começou a promover eventos esportivos, além de fazer o jornalista esportivo usar gravata. Na época, o futebol ainda estava se consolidando no Brasil, tanto é que atingiu seu ápice na década de 50, com 200 mil pessoas no Maracanã. Mas é, portanto, um preconceito histórico que existe até hoje. As pessoas não consideram, assim como o nosso próprio meio não considera, que o futebol é uma instituição que já apoiou regimes democráticos, militares. É uma influência tão grande que no ano que vem vamos mexer com o país inteiro por causa de um evento. Vamos mexer com mobilidade humana, com transporte, por causa da Copa do Mundo. E não é por acaso que esse livro está sendo lançado às vésperas de uma Copa do Mundo”, ressalta.

Viana vê uma ligação entre o preconceito que existe com o jornalismo esportivo com a forma como a própria crônica é vista no meio literário. “As pessoas precisam parar de olhar o jornalismo esportivo como uma coisa menor, assim como a literatura precisa parar de olhar a crônica como uma coisa menor. Defendo no livro que a crônica é jornalismo e é literatura. Alguns teóricos da literatura falam que a crônica não é literatura e sim jornalismo. É uma literatura menor, mas não deixa de ser literatura, porque ela bebe do romance, da poesia, do conto, justamente para pegar o que chamamos de efeito de sentido de intimidade, que é a forma que o autor utiliza, por meio de metáforas e recursos linguísticos, para criar uma sensação de proximidade com seu leitor”, completa.

Rodrigo Viana não poderia deixar de fora o time de seu coração. “Analiso uma crônica da Ferroviária, que foi publicada em janeiro de 1969 na Folha de São Paulo. Ela se chama ‘Que simpatia’, e foi escrita por Lourenço Diaféria quando a Ferroviária sagrou-se tricampeã do interior. É uma das crônicas mais lindas que já vi e fala exatamente o que eu sinto pela Ferroviária”, completa.

O AUTOR

Rodrigo Viana nasceu em Ilha Solteira (SP), mas adotou Araraquara (SP) como cidade natal. Jornalista e mestre em Estudos Literários pela Universidade Estadual Paulista (Unesp), é professor de pós-graduação em Jornalismo Esportivo. Repórter do SBT e colunista da revista Imprensa, ministra palestras, oficinas e workshops em parceria com a Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (Intercom). Criador do FutCiência – grupo de estudos dentro da Universidade do Futebol – também é membro do Memofut – Grupo de Literatura e Memória do Futebol. Em mais de 15 anos de carreira, rodou o mundo atrás de boas histórias: em 2012, viajou para o Japão e acompanhou a saga do título mundial do Corinthians. Seguindo a linha investigativa no esporte, denunciou o esquema de venda de ingressos pela segurança da Fifa na Copa das Confederações, ocorrida em junho de 2013 no Brasil. É apaixonado pela Ferroviária de Araraquara, time em que jogou nas categorias de base.

Serviço
Título: A bola e o verbo – O futebol na crônica brasileira
Autor: Rodrigo Viana
Editora: Summus Editorial
Preço: R$ 32,20 (Ebook: R$ 19,90)
Páginas: 80 páginas – 14 x 21 cm
ISBN: 978-85-323-0919-8
Atendimento ao consumidor: 11-3865-9890
Site: www.summus.com.br

CRISTAL PANIFICADORA E ROTISSERIA, SEMPRE FORTALECENDO O DIA A DIA DA ABA/FUNDESPORT.


Fortalecendo a alimentação, e o dia a dia da garotada da ABA/Fundesport, a Cristal Panificadora e Rotisseria, situada na Rua Almirante Tamandaré, na Vila Xavier, é mais um dos grandes apoiadores que o time de basquetebol de Araraquara, valoriza e agradecerá sempre.

Tendo o empresário Márcio Corvello, como proprietário, a Cristal Panificadora e Rotisseria, tem uma grande história em nossa cidade, principalmente atendendo com muito carinho e atenção, toda a cidade de Araraquara, em especial o grande público da Vila Xavier, que nos últimos anos, se tornou praticamente uma cidade, pelo seu crescimento, e juntamente com o bairro, a Cristal foi crescendo, e se ampliando para que atender com toda a estrutura necessária o público.


No dia a dia, a Cristal fornece toda a estrutura necessária de um farto café da manhã à equipe araraquarense, facilitando assim o trabalho diário da equipe, atletas e principalmente aos dirigentes da ABA (Associação de Basquetebol de Araraquara).

A Cristal Panificadora e Rotisseria, funciona de 2ª à Sábado, das 6hs às 21hs, e nos domingos e feriados, das 6:30hs, às 13hs, para melhor recebe-los, e atende encomendas pelo fone: (16) 3332-3768.

Fale com o Márcio Corvello, ou também com a Isabela Corvello, e você terá o melhor atendimento de toda a cidade

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

FERROVIÁRIA EMPATA EM ITÚ, E SE DESPEDE DA TEMPORADA 2013

Via SimNews - Fotos - Miguel Schincariol



A Ferroviária está eliminada da Copa Paulista 2013. Em jogo disputado na manhã deste domingo no Estádio Dr. Novelli Júnior, em Itu, a Ferroviária empatou por 2 a 2 com o Ituano, resultado que não foi suficiente para assegurar a vaga para a fase de mata-mata da Copa Paulista. A classificação não veio por causa da vitória do Juventus sobre o Rio Preto por 4 a 1 em São Paulo, resultado que garantiu o time paulistano na próxima fase.

Encerrada a segunda fase, a tabela de classificação do Grupo 7 apresentou o Ituano na liderança com 13 pontos, seguido de Juventus, com 9, ambos classificados para as quartas de final. Ferroviária, com 6 pontos, e Rio Preto, com 5, estão eliminados da competição.

Em Itu, o que se viu foi uma partida emocionante do início ao fim. A equipe araraquarense abriu o placar com um belo gol de Wilson Júnior no primeiro tempo. Na etapa complementar, o time da casa chegou a empatar com um gol de falta de Anderson Sales, mas a Locomotiva voltou a passar à frente o triunfo com um gol de cabeça de Renan. Aos 49 do segundo tempo, o Ituano voltou a igualar, dessa vez com um gol de cabeça de Esquerdinha.

Agora, a equipe araraquarense iniciará o planejamento para o Campeonato Paulista da Série A2 de 2014. O diretor de futebol, José Manuel Evaristo, já admitiu que serão poucos atletas que permanecerão no elenco para a competição que vale vaga na elite do futebol paulista.

Primeiro tempo movimentado

A partida teve um início agitado no Estádio Novelli Júnior. Aos 5 minutos, Marcão invadiu a área, passou pelo seu marcador, saiu de frente para o gol, mas chutou para fora, perto do canto esquerdo de Everton. Aos 13, a Ferroviária chegou com perigo em cobrança de escanteio de Renato, que Matteus cabeceou perto do gol. O técnico Fabrício Maia foi obrigado a fazer sua primeira alteração quando Matteus saiu de campo machucado e foi substituído por Wesley. Aos 25, Renato recebeu lançamento na entrada da área e bateu de primeira, em cima do goleiro, em lance muito reclamado por Wilson Júnior, que estava livre para fazer o gol. Aos 29, Ewerton arriscou de longe, a bola desviou na zaga grená e explodiu no travessão do goleiro afeano Everton.

A equipe grená de Araraquara abriu o placar com um golaço do atacante Wilson Júnior, que fez seu sexto gol na competição. Aos 34, o camisa 11 recebeu na intermediária, passou pelo zagueiro e acertou um forte chute no canto direito do goleiro Vagner: 1 a 0 para a Ferroviária!



Aos 46, por muito pouco o Ituano não igualou o placar. Após boa triangulação, Ewerton recebeu de frente para o gol e chutou para fora.

Três gols no segundo tempo
A Ferroviária voltou sem alterações e o segundo tempo começou equilibrado. Mas logo no início da etapa complementar, a torcida afeana viu a classificação se tornar uma meta impossível de ser atingida, já que no outro jogo do grupo, o Juventus já havia feito seu terceiro gol sobre o Rio Preto, se confirmando na segunda colocação da chave.

Aos 15 minutos, quase Wilson Júnior fez o segundo gol dele no jogo, quando chutou na entrada da área e o goleiro Vagner ficou olhando a bola passar perto de sua trave esquerda. Aos 17, Marcão driblou Hismael fora da área e bateu rasteiro, mas a bola passou rente à trave esquerda de Everton. Aos 21, Marcão tabelou com Elvis e chutou forte em diagonal, mas a bola bateu no pé da trave e foi para fora. Em sua segunda alteração, Fabrício Maia colocou Romarinho no lugar de Renato. Na tentativa de reforçar o setor defensivo para segurar a vitória, o zagueiro Alemão também entrou na vaga de Kaio Fernando. Aos 29, Rafael Silva saiu de frente para o gol e encheu o pé, parando novamente no goleiro Everton.

Aos 34 minutos, o Ituano igualou o marcador com Anderson Sales, que cobrou falta com perfeição, no ângulo direito de Everton: 1 a 1.

A reação afeana veio rapidamente. Aos 39, Romarinho chutou de longe e o goleiro Vagner se esticou para tirar a bola de seu ângulo direito. Na cobrança de escanteio, Renan apareceu livre no meio da defesa adversária e cabeceou para o fundo da rede do goleiro Vagner: 2 a 1!

Na saída de bola, Rafael Silva fez falta violenta e foi expulso, deixando o Ituano com um jogador a menos. Aos 46, Everton voltou a se destacar com uma intervenção após um chute à queima-roupa de Marcão. Mas foi aos 48 que o goleiro afeano fez sua defesa mais bonita no jogo, ao tirar de seu ângulo esquerdo a bola chutada em cobrança de falta de Anderson Sales.
Mas aos 49, o arqueiro grená não conseguiu evitar o gol do Ituano. Após confusão na área, a bola chegou a Esquerdinha, que tocou de cabeça para o fundo da rede, deixando tudo igual em Itu: 2 a 2.

A Ferroviária ainda teve a chance de marcar seu terceiro gol com Wilson Júnior, em chute diagonal de dentro da área que tirou tinta da trave direita de Vagner, mas a partida terminou em 2 a 2. Fim da participação araraquarense na Copa Paulista 2013.
FICHA TÉCNICA

ITUANO 2 x 2 FERROVIÁRIA
Local: Estádio Dr. Novelli Junior, em Itu

Arbitragem: Camilo Morais Zarpelão;
Público: 336 pagantes;
Renda: R$ 2.175,00;
Assistentes: Eduardo Vequi Marciano e Edvânio Ferreira Duarte;
Cartões amarelos: Dudu (Ituano); Hismael, Mário, Kaio Fernando, Vinicius (AFE)
Gols: Wilson Júnior (34’ do 1º T) e Renan (39’ do 2º T) para a Ferroviária; Anderson Sales (34’ do 2º T) e Esquerdinha (49’ do 2º T) para o Ituano.

ITUANO: Vagner; Alex, Airton, Anderson Salles e Esquerdinha; Dudu, Ewerton (Vinicius), Rafael Silva e Clayson (Elvis); Guilherme (Rodriguinho) e Marcão. Técnico: Doriva.

FERROVIÁRIA: Éverton, Mário, Vinicius, Hismael e Bruno; Kaio Fernando (Alemão), Renan, Matteus (Wesley) e Renato (Romarinho); Gustavo e Wilson Jr. Técnico: Fabrício Maia

sábado, 12 de outubro de 2013

FERROVIÁRIA SEGUE PARA ITÚ EM BUSCA DA VAGA NA 3ª FASE DA COPA PAULISTA



Na manhã deste sábado no C.T. do Pinheirinho, a Ferroviária encerrou a sua preparação para o jogo diante do Ituano, neste domingo às 10hs, no Estádio Novelli Júnior, na cidade de Itú. 

Para este compromisso, o técnico da Ferroviária, faz duas mudanças na equipe, sacando Harrison e Pedro Gusmão, e promovendo as enrradas do volante Kaio Fernando no meio campo, e o atacante Gustavo, que nesse 2º semestre veio do Marília para reforçar a Ferroviária. 

Para a decisão deste domingo em Itú, o time da Ferroviária vai a campo com a seguinte formação: Éverton, Mário, Vinicius, Hismael e Bruno, Kaio Fernando, Renan, Matteus e Renato, Gustavo e Wilson Jr. Ainda ficam a disposição no banco de reservas: Alexandre Cajuru, Wésley, Alemão, Romarinho, Harrison, Gustavo Henrique e Pedro Gusmão. 

A delegação afeana segue para Itú às 18hs deste sábado.

quarta-feira, 9 de outubro de 2013

FERROVIÁRIA PERDE DO JUVENTUS, E SE COMPLICA NA COPA PAULISTA

Via SimNews




A Ferroviária foi derrotada pelo Juventus por 1 a 0 em jogo realizado na noite desta quarta-feira na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara. A Locomotiva apresentou um volume de jogo maior que o do adversário, mas sofreu o gol aos 37 minutos do segundo tempo, em um belo chute de Castori.

Com o resultado, o time araraquarense se mantém com 5 pontos, dividindo a terceira posição com o Rio Preto, que ontem perdeu em casa por 3 a 0 para o Ituano. Assim, o time de Itu chegou aos 12 pontos e carimbou sua classificação, enquanto o Juventus aparece na vice-liderança com 6. Na próxima rodada, a última da segunda fase, a Ferroviária precisará vencer o Ituano no Estádio Dr. Novelli Júnior, em Itu, e torcer por um empate no jogo entre Juventus e Rio Preto em São Paulo.
O jogo

A equipe araraquarense começou a partida buscando o ataque, mas quem chegou primeiro com mais perigo foi o Juventus, aos 9 minutos, com um chute de longe batido por Romarinho, que passou perto do travessão do goleiro Everton. Aos 11, Mário recebeu a bola dentro da área e bateu cruzado, mas a bola passou perto da trave direita de Fernando Henrique.

Aos 24, Renato bateu falta da intermediária e por pouco não encobriu o goleiro, que se esticou para espalmar para fora. Aos 26, foi a vez do goleiro afeano fazer uma intervenção difícil em um chute de Castori. Aos 30, Wilson Júnior recebeu belo passe de Renato, mas ficou sem ângulo no momento da finalização e bateu em cima do goleiro. Aos 37, jogadores e torcedores da Ferroviária reclamaram de um pênalti não marcado pela arbitragem, quando Mário ganhou do adversário na corrida e foi derrubado dentro da área.
Segundo tempo

O técnico Fabrício Maia voltou com a mesma formação do vestiário e quase abriu o placar aos 9 minutos, com Matteus, que recebeu cruzamento dentro da área e cabeceou, mas a bola passou perto do gol. Na sequência, goleiro Everton salvou a Locomotiva em dois lances de muito perigo. No primeiro, Rafael Branco bateu da entrada da área e parou no goleiro. Na segunda, Pedro Rocha recebeu em profundidade e saiu de frente com o goleiro, que levou a melhor com outra boa defesa.

Pensando em colocar o time no ataque, o técnico afeano tirou o zagueiro Vinicius e colocou o atacante Walker. Aos 34, em cobrança de falta frontal, Harrison bateu com categoria e a bola passou muito perto do ângulo direito de Fernando Henrique.

Mas o castigo do time da casa veio aos 37, quando Castori arrancou pela intermediária e acertou um petardo no ângulo esquerdo de Everton: 1 a 0 para o Juventus.

A equipe araraquarense partiu para cima em busca do empate e quase igualou o marcador com um chute de longe de Renato, mas a bola passou perto do ângulo direito do goleiro. Aos 47, no último lance do jogo, o goleiro Everton foi para a área tentar ajudar o ataque em uma cobrança de escanteio. Após confusão na área, a bola sobrou, próximo à marca do pênalti, para o camisa 1, que chutou forte, mas o zagueiro se jogou na frente, evitando o gol. Final de jogo: 1 a 0 para o Juventus na Fonte. 

FICHA TÉCNICA
FERROVIÁRIA 0 x 1 JUVENTUS

Local: Arena Fonte Luminosa, Araraquara (SP);

Data: Quarta-feira, 09, às 20h.

Árbitro: Adriano de Assis Miranda;

Auxiliares: Alexandre Médice Gouveia e Rodrigo Crosara;

Quarto Árbitro: Adeli Mara Monteiro;

Cartões amarelos: Maurício, Jader (Juventus)

Gol: Castori (37’ do 2º T)


Ferroviária: Everton; Mário, Hismael, Vinicius (Walker) e Bruno; Renan, Matteus, Harrison e Renato; Wilson Júnior e Pedro Gusmão (Gustavo Henrique). 

Técnico: Fabrício Maia.


Juventus: Fernando Henrique; Maurício (Jader), Maurício Carvalho, Victor Salinas e Lucas Pavone; Arthur, Romarinho (Vinicius César), Derli e Rafael Branco; Rafael Castori e Pedro Rocha. 

Técnico: Celinho Spadoti.

ABA/FUNDESPORT SEGUE CONQUISTANDO PARCEIROS AMANTES DO ESPORTE.


E para manter uma boa estrutura dentro e fora da quadra, a diretoria da ABA (Associação de Basquetebol de Araraquara), segue conquistando a cada dia, parceiros de qualidade e credibilidade, e além de tudo, amantes do esporte.

E um grande parceiro que a equipe masculina de Araraquara já conquistou a algum tempo, mas como é um amante da modalidade, e principalmente do esporte em geral, segue firme e forte na parceria com o time, é o empresário Fernando Braghini, proprietário da Frutas Braghini (foto), situada na Henrique Lupo, no bairro do Faveral, com muita qualidade nos seus produtos.



Fernando Braghini (foto), em entrevista à Assessoria do time de Araraquara, informou que quando era menor praticou muito esporte, e isso foi importante principalmente na sua educação, mas como teve como optar pelo trabalho, teve que optar por abandonar uma possível carreira no esporte.


A ajuda do empresário ao time fornecendo diariamente suas frutas, e verduras (foto) é de fundamental importância, para que os atletas tenham uma condição de alimentação de muita qualidade, para que os atletas, possam desempenhar o seu melhor dentro de quadra nos treinamentos, e principalmente nas competições.


A Frutas Braghini atende na Henrique Lupo, no Bairro do Faveral, e o Funcionamento é de 2ª a Sábado, das 7 às 19hs, e aos domingos, das 8 ao meio-dia para que a população araraquarense possa desfrutar a ótima qualidade nos produtos, e principalmente os bons preços.


terça-feira, 8 de outubro de 2013

UNIARA/AFAV RECEBE O MOLICO/OSASCO PELO PAULISTA FEMININO NESTA 3ª FEIRA NO GIGANTÃO

Via SimNews



Após fazer história vencendo sua primeira partida na Superliga, contra Brasília, o time da Uniara/Fundesport se concentra no Paulista e enfrenta o Molico/Osasco nesta terça-feira, dia 8 de outubro, às 19h30, no Gigantão.

De acordo com a técnica da equipe araraquarense, Sandra Mara Leão, mesmo com a empolgação pelo feito na Superliga, as atletas retornaram à cidade já focadas no Paulista. “Voltamos à rotina, passou a euforia. Não tivemos folga, chegamos na sexta e já treinamos no sábado, pensando no Osasco. É um adversário difícil, com um ataque muito forte. Assistimos a um jogo deles e conversamos sobre como é o jogo do Molico para treinarmos em cima disso”, detalhou.

O Osasco conta com atletas consagradas como a oposta Sheilla, as centrais Thaisa e Adenízia, a levantadora Fabíola e a líbero Camila Brait. O time do técnico Luizomar de Moura não contará com Jaqueline, que está afastada por sua gravidez, e com Fernanda Garay, que atuará na Turquia. Para o lugar das atletas foram contratadas duas estrangeiras, a ponteira sérvia Sanja Malagurki, e a ponteira italiana Caterina Bosetti.

Os ingressos custam R$ 2,00. Informações sobre como adquiri-los podem ser obtidas com a preparadora física do Uniara, Samanta Santos, pelo telefone (16) 99174-8591

domingo, 6 de outubro de 2013

GUERREIRAS GRENÁS CONQUISTAMO PAULISTA DE FORMA INVICTA

Via SimNews



Festa na Fonte Luminosa! Em jogo realizado na manhã deste domingo, a Ferroviária/Ferroviária empatou com o São José por 1 a 1 e sagrou-se campeã do Campeonato Paulista de Futebol Feminino de 2013. Marina fez o gol afeano aos 6 minutos do primeiro tempo e Formiga igualou o placar aos 2 da etapa complementar. A equipe araraquarense ainda teve a chance de ampliar em um pênalti perdido por Andressa Alves.

No jogo de ida, realizado em São José dos Campos, o jogo terminou com o mesmo placar. Como o time grená tinha vantagem por conta da melhor campanha, ficou com a taça em Araraquara. Vale lembrar que a Ferroviária/Fundesport ainda não perdeu em 2013 e se tornou o time com maior conquistas, sendo o único tetracampeão, superando os tricampeões Santos, Portuguesa e Botucatu. A equipe araraquarense já havia faturado o título estadual em 2002, 2004 e 2005. 

"Nos treinamentos, o professor fala para a gente acreditar sempre, apostar que a goleira vai errar, e talvez isso aí que me fez acreditar. Esse gol nos deu o título", comemorou a zagueira Marina, logo após o término do jogo.

O jogo

Mesmo desfalcada da lateral Daiane e da zagueira Tayla, a Ferroviária iniciou o jogo partindo para cima, desconsiderando a vantagem do empate. Aos 6 minutos, após cruzamento na área, em um lance tranquilo, a goleira Kaká deixou escapar a bola e a zagueira Marina se aproveitou e cabeceou para o fundo da rede. Ferroviária 1 a 0!

Aos 16 minutos, o time visitante perdeu a chance de empatar com Danieli, que recebeu na entrada da área, bateu cruzado e a bola tirou tinta da trave esquerda de Luciana. Aos 20, foi a vez de Giovânia receber dentro da área e bater cruzado para fora. Aos 27, Formiga girou e bateu de fora da área, mas 

Luciana se esticou até seu canto esquerdo para espalmar para a linha de fundo. Aos 31, Raquel recebeu na intermediária, passou pela sua marcadora e chutou da entrada da área, mas a goleira Kaká, bem posicionada, encaixou.

Aos 44 minutos, Rilany deu um susto na torcida. Ao dividir uma bola pelo alto dentro da área, ela se chocou de cabeça e precisou ser atendida pela ambulância. Mas ela teve condições de voltar para a partida.

Segundo tempo
A equipe araraquarense voltou sem alterações do intervalo, enquanto o São José retornou com a ex-afeana Alanna no lugar de Michele Nunes. Logo aos 2 minutos, após cobrança de escanteio, a defesa afeana não conseguiu afastar e a bola sobrou para Formiga, eu acertou um chute indefensável no ângulo direito de Luciana: 1 a 1. 

Alanna, que havia acabado de entrar, saiu de campo machucada e deu lugar a Mari. Aos 18 minutos, Andressa Alves recebeu a bola pela ponta, aplicou uma meia-lua em Poliana, que derrubou a afeana dentro da área. A própria Andressa foi para a cobrança do pênalti e parou na defesa da goleira Kaká.

Aos 38, a zagueira Naglia fez falta para interromper o contra-ataque afeano e levou o segundo cartão amarelo, consequentemente o vermelho, deixando o São José com uma jogadora a menos. Aos 41, 
Erikinha interceptou um passe no meio e ficou de frente para o gol na entrada da área, mas chutou fraco, facilitando a vida da goleira adversária.

Aos 45, a Ferroviária teve a chance de matar o jogo, quando Raquel passou na medida para Dioneide, de frente para o gol, eu parou em outra boa defesa de Kaká. Ao apito final da árbitra, o que se viu foi muita festa na Fonte Luminosa.

FICHA TÉCNICA
FERROVIÁRIA/FUNDESPORT 1 x 1 SÃO JOSÉ

Local: Arena Fonte Luminosa, em Araraquara
Data/Horário: 6/10/2013, às 10 horas
Árbitragem: Adeli Mara Monteiro
Cartões amarelos: Carlinha, Poliana, Naglia (São José)
Cartão vermelho: Naglia (São José)
Gols: Marina (6’ do 1º tempo); Formiga (2’ do 2º tempo)

FERROVIÁRIA
Luciana, Rilany, Marina, Mônica e Andressa Alves; Thaísa, Beatriz, Erikinha e Raquel; Ludmila e Adriane Nenê (Dioneide). Técnico: Douglas Onça.

SÃO JOSÉ
Kaká, Poliana, Renata Diniz (Naglia), Gislaine e Danieli; Michele Nunes (Alanna, depois Mari), Carlinha (Paulinha), Formiga e Francieli; Giovania e Michele Carioca. Técnico: Márcio Oliveira.

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

FERROVIÁRIA EMPATA FORA DE CASA NO 1º JOGO DA FINAL DO PAULISTA FEMININO



Pela partida de ida da grande final do Campeonato Paulista Feminino 2013, a Ferroviária visitou o São José nesta tarde de quinta-feira, no Estádio João do Pulo, em São José dos Campos, e o placar final apontou o empate por 1 a 1.

Típico de uma grande final, as duas agremiações entraram em campo cautelosas, evitando expor seus sistemas defensivos. O time da Ferroviária foi mais feliz e terminou o primeiro tempo em vantagem no placar, com o gol anotado pela centroavante Ludmila.

Na etapa final, o jogo seguiu disputado palmo a palmo, com o São José buscando o empate, enquanto a Ferroviária se defendia e contra-atacava com perigo. Nos minutos finais, a goleira do São José, 
Renata Santana, cobrou falta com perfeição e fez o gol que garantiu a igualdade no placar do Estádio João do Pulo.

As duas equipes voltam a se enfrentar no próximo domingo, dia 6, às 10 horas, na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara, pela grande e decisiva partida do Paulista Feminino 2013. Um novo empate dará o título à equipe de Araraquara